Reenergizar!

Ainda faltava uma coisa

No início, éramos apenas o Método LAR com os pilares de Liderança, Atitudes e Resultados. Com o tempo, aprendemos que alguns resultados poderiam ser mais extraordinários, outros ainda muito mais duradouros. Isso nos incomodava, mas ao discutir o tema com outros profissionais da área, sempre tínhamos o feed-back que isso era questão de perfeccionismo, afinal nossos alunos tinham resultados muito acima da média.

Sim, isso era verdade, porém uma insatisfação positiva ainda rondava. Questionávamo-nos, constantemente, sobre a forma que poderia ajudar nossos alunos a terem resultados ainda melhores, e muito mais duradouros. Em algumas conversas, recebemos o feedback que nossa resiliência era alta, e, com isso, mantínhamos o foco por períodos muito mais longos. Por vezes, essa perseverança trouxe-nos resultados sensacionais.

De forma despretensiosa, fomos fazer um curso em uma das nossas paixões, e, durante o curso, tudo ficou claro: conseguimos entender o que nos impulsiona, o que NOS dá forças para levantar, mesmo quando caímos . Após longo tempo, compreendemos o motivo de nosso equilíbrio e, consequentemente, o que gerava o vigor em busca de resultados. A seguir, vamos contar-lhe o que nos mantém com força de ação.


Ações em desequilíbrio

Discutir o efeito negativo de agirmos em desequilíbrio, atualmente, é desnecessário. Basta olharmos ao nosso redor, e, enxergamos as pessoas com sintomas típicos de vidas em desequilíbrio, com efeitos negativos, mesmo a longo prazo: insatisfação, doenças psicossomáticas, estresse e todas as consequências correlatas.

Infelizmente, aprendemos que necessitamos gerar foco onde queremos desenvolver, e, de forma irresponsável, somos levados a focar em nossos desejos, esquecendo dos outros campos de nossa vida. Como seres humanos, temos 10 campos de interconexão (conforme utilizado no Método LAR), e, frequentemente, observamos o foco em um dos dez campos, esquecendo os demais nove.

Por outro lado, na maioria dos processos de desenvolvimento pessoal e profissional, aprendemos que o foco potencializa os resultados. Assim, se desejamos crescer, precisamos focar e priorizar. A grande questão necessária para resolvermos, neste século, é como focarmos, sem perder o equilíbrio em nosso dia a dia.

O foco gera desequilíbrio, e queremos reafirmar que isso não será benéfico. Não estamos dizendo que nunca se deve focar e promover o desequilíbrio, pois para resultados de curto prazo isso seria necessário.

Vamos dar um exemplo: suponhamos que você está dez quilos acima do seu peso. Se propusermos que em 2 semanas você precisa perder 10 quilos, qual seria sua resposta? Provavelmente, você pensou que isso seria impossível. Como motivação extra, propomos recompensá-lo com 1 milhão, em espécie, se você se pesar agora, e, em duas semanas, ao se pesar, novamente, você estiver com 15 quilos a menos. Simples e direto, não importa o que faça: a diferença do seu peso hoje contra seu peso, em duas semanas, renderá um milhão, se estiver quinze quilos a menos. Você aceitaria o desafio? Temos certeza que muitos aceitariam, e grande parte conquistaria o objetivo. Um nutricionista, provavelmente, diria que isso pode ser possível, dependendo de seu biotipo, mas não em apenas duas semanas. Porém, como a recompensa interessa-lhe muito, você criaria um plano mirabolante em como atingir seu resultado, mesmo que ficasse com uma dieta super restritiva e base das mais diversas loucuras de emagrecimento.

Poderíamos explicar, por horas, os motivos pelos quais a segunda pergunta foi aceita, mesmo com o desafio sendo maior, mas isso pouco importa. O que queremos chamar a atenção é: qual seria o custo gerado para obter esse prêmio? Ações deste tipo, de curto prazo, podem até ser viáveis, mas quanto factível seria manter isso, em estado permanente? Você deve ter percebido que, pontualmente, estaria disposto a sacrificar-se, mas, em longo prazo, isso seria impraticável.

Queremos fazer-lhe mais uma provocação, neste momento. Olhe ao seu redor, quantas vezes você (ou pessoas que são próximas) focam e intensificam seus esforços em uma área de desejo e com isso deixam diversas áreas desamparadas? Muitos dizem que se arrependem do tempo colocado em campos que geraram conquistas, mas também perdas em outras esferas muito mais importantes. Você já percebeu que ações em desequilíbrio podem ser meio  de conquistas, mas caminhos perigosos e danosos para ações de longo prazo?


Conquistas de longo prazo

Grandes conquistas possuem caminhos longos e, por isso, exigem equilíbrio e resiliência. Entretanto, a mesma verdade está presente na afirmação que, sem a energia explosiva, existente em ações de curto prazo, não seria possível realizar grandes caminhadas. Como alinhar os dois pontos, inicialmente situado em seus extremos?

Para ações de curto prazo, precisamos focar no nosso objetivo. Lembremos que, onde se foca, cresce, na intensidade correta. Se assim formos treinados, evitamos desperdícios de recursos, pois aumentaremos nossa assertividade. Isso já é claro e amplamente divulgado nas mídias. Por isso, queremos focar em ações de longo prazo.

Se você procurar o que seria necessário para manutenção das ações de longo prazo, certamente, terá acesso ao material básico. Para ações de longo prazo, é necessário possuirmos um propósito inabalável, ou seja, o objetivo a ser conquistável precisa possuir recompensas muito maiores que as dificuldades, no caminho da conquista. Isso o ajudará a não desistir, e cada vez que se  sentir abalado e com desejo de não continuar no caminho, poderá reabastecer sua energia e retomar o fôlego. Outra dica, comumente encontrada, é que o seu objetivo deve ser alinhado com seus valores essenciais, e evitará conflitos com o que o seu verdadeiro eu deseja. Poderíamos citar outras dezenas de técnicas e retóricas, que o ajudariam a manter o foco em longo prazo, mas preferimos manter as duas mais recorrentes (e também as mais importantes dentro das técnicas iniciais).

O que não lhe contaram, até agora, e está guardado, como segredo dos profissionais de sucesso, é o poder do equilíbrio. O objetivo de longo prazo deve ser aliado com o equilíbrio das diversas esferas (eu, profissão, relacionamentos…), pois momentos de foco na intensidade correta não serão suficientes para desestabilizar seu equilíbrio. Neste ponto, encontramos dicas superficiais, como, por exemplo, pratique atividade física, medite, realize ações voluntárias, entre outras. A boa notícia é que todas essas dicas estão corretas e o ajudarão a manter-se em equilíbrio.


Na prática como isso funciona?

Não queremos colocar uma receita de bolo, pois cada um de nós tem sua verdade e mecanismo de funcionamento. Sugerimos que, primeiro, busque seu equilíbrio em coisas simples, como as citadas acima, mas há uma forma muito mais poderosa. Descobrimos isso, após muitos altos e baixos, na busca de nossos objetivos. 

As ferramentas simples e extremamente poderosas, certamente, exigirão um pouco de tempo dedicado (alguns minutos por dia). Confessamos que os resultados são surpreendentes de maneira tal que, adicionamos parte dessas práticas, no processo do Método LAR, como potencialização de seu desenvolvimento. 

Manutenção do equilíbrio para aumentar sua força

Antes de contar como potencializamos nossos resultados de longo prazo, precisamos introduzir-lo a alguns conceitos que possuímos. Muitas explicações são encontradas, como por exemplo: “Nós atraímos o que pensamos”, ou “A recorrência é uma forma de mostrar o aprendizado a ser concluído ainda”. Temos a convicção de que você já ouviu algo parecido.

Todos nós somos formados por matéria, e, desta forma, enxergamos e definimos como nosso corpo físico. Todos nós somos regidos pela lei universal de Pensamento, Palavras e Ações. Logo, o que pensamos, falamos e agimos tende a atrair o resultado impregnado do sentimento destas três fases. Além de nosso corpo físico, todos possuímos uma energia vital. Vários estudiosos, recentes e antigos, estudam isso e denominam essa energia com diversos nomes. Aqui, neste conceito, ouvimos uma série infinita de afirmações como “O universo devolve a mesma intensidade do que você joga nele”. Já ouviu isso?

De forma resumida, e sem a pretensão de explicar esse conceito, tão bem quanto as tradições que possuímos no mundo, somos formados por corpo e energia vital. Nossos pensamentos e palavras afetam em nossa energia vital, e nossas ações interferem em nosso corpo físico e energia vital. Você pode limitar ações, por analisar se são adequadas a cada situação, você poderá aprender controlar suas palavras para que não gerem agressão às pessoas. Porém, os pensamentos são espontâneos, simplesmente surgem em você, e por ações que outras pessoas fazem , provocam tais interferências.

O nosso equilíbrio depende de manter nossa força vital em alta frequência, e isso não significa mais e melhor, porém, na intensidade harmonizada corretamente. Mas, nossa energia, ou força vital podem ser influenciadas por nossos pensamentos (de difícil controle) e por influência de outros. Logo, é fácil imaginar o quanto ela irá variar ao longo de uma caminhada, ou mesmo ao longo do dia.

Você já começou o dia bem, com altíssimo astral e, no fim do dia, sentiu-se esgotado? Você já entrou em um ambiente, e sentiu-se mais pesado e sobrecarregado só de estar lá? Isso ocorre, pois mexeu no seu ponto de equilíbrio de energia.

Tudo, no universo, tende ao Equilíbrio maior. Assim, absorvemos e enviamos energia / força vital, constantemente, para buscarmos a energia equilibrada do momento. Quando nos sentimos esgotados, doamos mais energia do que recebemos. Quando encontramos alguém e nos sentimos bem, motivamo-nos, alegramo-nos, o que significa que recebemos a energia desta pessoa.

Para longas caminhadas, além de todo o planejamento, precisamos cuidar que nossa força vital se mantenha  em alta intensidade, com o maior equilíbrio de nossos centros energéticos.